Pedido de Música

Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Região de Campinas tem 51 mil aptos à tarifa social de energia, mas que estão fora do cadastro - Nativa FM Campinas 89.3

Região de Campinas tem 51 mil aptos à tarifa social de energia, mas que estão fora do cadastro

Pelo menos 51 mil famílias aptas à tarifa social de energia, que oferece descontos na conta de luz, estão fora do cadastro do benefício na região de Campinas (SP), segundo levantamento da CPFL. O programa é destinado a clientes de baixa renda, que precisam atender a critérios como renda per capita de, no máximo, meio salário-mínimo. A solicitação pode ser feita pela internet – veja como e os critérios abaixo.

Os descontos para os cadastrados na tarifa social são aplicados de forma cumulativa para faixas de consumo que vão de 0 kWh a 220 kWh.

“A tarifa terá um desconto de 65% para os primeiros 30 kWh consumidos no mês. Para o consumo de 31 a 100 kWh/mês, o desconto será de 40%. Finalmente, a parcela de consumo entre 101 e 220 kWh no mês terá 10% de desconto. Isso significa que, se o beneficiário da Tarifa Social tem um consumo mensal de 50 kWh, ele receberá um desconto de 65% sobre os primeiros 30 kWh e de 40% sobre os outros 20 kWh”, informa a CPFL.

Atualmente, 69,9 mil clientes estão cadastrados em 14 municípios da área de cobertura da CPFL nas regiões de Campinas e Piracicaba.

Quem pode se cadastrar na tarifa social?

Para ter direito ao benefício, o cliente precisa ter renda mensal per capita de, no máximo, meio salário-mínimo e atender a pelo menos uma das condições listadas abaixo:

  • NIS (cadastrado no Programa Bolsa Família) ou NB (cadastrado no BPC);
  • Programa Bolsa Família (neste caso, informar o NIS – Número de Identificação Social);
  • BPC (Benefício de Prestação Continuada) – neste caso, informar o NB (Número do Benefício);
  • Família inscrita no “Cadastro Único” para Programas Sociais do Governo Federal, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário-mínimo nacional ou;
  • Quem receba o Benefício da Prestação Continuada da Assistência Social – BPC, nos termos dos Art. 20 e 21 da Lei nº. 8742, de 7 de dezembro de 1993;
  • Família inscrita no Cadastro Único com renda mensal de até três salários-mínimos, que tenha portador de doença ou patologia cujo tratamento ou procedimento médico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica;
  • Família de Índios ou Quilombolas inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Caso o consumidor se enquadre nesses requisitos, ele deve fazer o cadastro junto à distribuidora de energia. No caso dos municípios atendidos pela CPFL, isso pode ser feito pela internet ou pelo aplicativo “CPFL Energia”. É preciso informar os documentos e comprovantes solicitados.

No caso de beneficiário que não seja o titular da instalação, a distribuidora orienta que é importante que ele faça o pedido identificando o código do cliente (presente na conta de energia) do local onde mora, para que a CPFL possa conceder o benefício de forma adequada.

Fonte: G1

Deixe seu comentário:

© Direitos reservados - Nativa FM Campinas 89.3 - Grupo Bandeirantes de Comunicação